Mulher conservadora e a modernidade

Mulher conservadora e a modernidade

 – Quando uma mulher decide assumir sua natureza feminina, ela floresce para a vida –

Mulher virtuosa, quem a pode achar? Pois o seu valor muito excede ao de jóias preciosas (Prov. 31:10)”

A mulher virtuosa carrega em si as virtudes e características que estão descritas em provérbios 31. O sexo feminino, então, traz em si detalhes e aspectos da obra criadora de Deus que o torna, quando concedido por Ele, um ser dotado de qualidades intrínsecas ao gênero, tais como a sensibilidade, a amabilidade e a delicadeza. A mulher conservadora possui naturalmente uma força capaz de modificar o ambiente à sua volta, e uma resiliência arraigada no seu caráter perseverante; ao mesmo tempo, possui singeleza, meiguice e doçura em suas atitudes. Ela tem um sentimento maternal, mesmo que ainda não seja mãe. Um afeto que flui naturalmente e contagia todos ao seu redor. Esse tipo de mulher é capaz de trazer para o ambiente em que vive uma leveza natural, como uma rosa que exala um bom perfume.

Em tempos de confusão, em que a perversão leva a uma sociedade cada vez mais alheia aos padrões naturais de comportamento e virtude, tornando a ideia do conservador avessa ao normal e aceitável, os Cristãos se tornam o foco da observação crítica de tal sociedade.

A mulher recebe especial atenção na medida em que movimentos, tais como o feminismo, ganham espaço na mídia com o intuito de persuadir à uma luta que – quando na verdade trata-se apenas de perversão e distorção dos valores – apresenta-se disfarçada de igualdade. As adeptas ao movimento, em sua maioria, questionam a postura comedida e aprazível da mulher conservadora. De certa forma, elas fazem objeção a esta delicadeza natural, por entender que isso tipifica o gênero como sendo mais frágil, ou mesmo inferior. Sem sombra de dúvida, a mulher deve ter os mesmos direitos que os homens, o mesmo reconhecimento do mercado de trabalho, etc.. O que precisa ser entendido, é que a mulher é sim, diferente do homem. Diferente não é melhor, nem pior, é apenas diferente. São diferenças físicas, emocionais e comportamentais, todas naturais e intrínsecas. Isso não é nenhum problema; muito pelo contrário, é algo que dá mais beleza à vida e aos relacionamentos.

Quando uma mulher decide assumir sua natureza feminina, ela floresce para a vida. Sua doçura, de forma alguma a torna fraca ou indefesa. São qualidades que contribuem para o seu desenvolvimento como ser humano, uma vez que Deus a criou assim, a formou para isso. Deus quer que a mulher assuma a sua feminilidade e exerça esse dom que Ele mesmo dá. Ser doce e terna no agir e mesmo ao falar, não transmite nenhuma imagem de fraqueza. Como está escrito em Provérbios 16.24: “Palavras suaves são como favos de mel, doçura para a alma e saúde para o corpo”. Quando uma mulher adota essa postura, ela presenteia a sociedade ao auxiliar na construção de valores sólidos, de uma família bem fundamentada e de sentimentos que infelizmente estão em falta nos dias de hoje.

A mulher adepta a movimentos como o feminismo abdica de coisas que são belas e naturais, por considerá-las prejudiciais. O cavalheirismo no tratamento para com elas é um exemplo. Consideram, também, o romantismo ultrapassado e como sendo fonte de sofrimento. Trata-se de mais um engano. A mulher conservadora aprende desde cedo a identificar como deve ser o seu futuro esposo, como este deve tratá-la, as virtudes que deve ter, etc., e dificilmente se deixará enganar ou iludir por homens mal intencionados. O romantismo, o “esperar pelo príncipe dos sonhos”, não a torna um alvo fácil para enganadores: por saber se valorizar, exigirá por companhia um homem que também o saiba. Ela conhece seu valor, sabe que para se juntar a ela, é preciso fazer jus a isso. Pelo seu simples comportamento, ela atrairá para si um homem que tenha condições de assumir um papel tão importante.

Em geral, valores assim estão sendo esquecidos. Eu ouço constantemente das pessoas a seguinte exclamação: “você não parece ser deste século!”. E dou graças a Deus por tal observação. Significa que Ele tem preservado em mim os valores que nos fazem tão bem. A sociedade percebe e vê as diferenças no comportamento da mulher conservadora e piedosa.

Diante de um cenário como este, de total inversão de valores, e de depravação total, nunca foi tão evidente e possível de observar o quão radiante a feminilidade, a doçura e a modéstia da mulher piedosa transcendem, sobrepujam e se sobressaem em meio à podridão do mundo.

Tal atenção não deve ser enxergada como perseguição, antes, deve ser vista como a oportunidade de um testemunho vivo da obra de Cristo, encargo para o qual fomos chamadas. É a chance de dizer não às normas ditadas pela mídia e pelo modernismo deturpado.  Ao ser observada para a crítica, é possível mostrar ao mundo a beleza e as virtudes da mulher conservadora, de contribuir para a recuperação de uma sociedade tão profundamente machucada e degenerada pela imoralidade.

Marlene Notelio de Morais


Anúncios

2 comentários sobre “Mulher conservadora e a modernidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s