Cultura do Estupro- Quem promove?

Nos últimos dias, ouvimos, vimos e ficamos estarrecidas com a notícia escabrosa e lamentável (e confusa com tantas novidades) sobre o estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro.

Uma adolescente de 16 anos, segundo as informações midiáticas, foi dopada e estuprada por mais de 30 homens, que também filmaram o crime e postaram nas redes sociais.

Quase que imediatamente, se levantaram criaturas desprovidas de intelecto, acusando a nós, conservadores de “promovermos a cultura do estupro”, apoiando os criminosos (pois são homens) e criminalizando as vítimas (por conta de vestimentas, locais que freqüentam, blábláblá).

Bom, vamos começar do começo:

1° Não interessa se a mulher está de burca, calça, short, saia longa ou curta, de biquíni ou totalmente nua no meio da rua. Isto NÃO DÁ (repito: NÃO DÁ) o direito de alguém tocá-la sem seu consentimento.

2° Qualquer ato sexual sem o livre consentimento da mulher, que provoca seu constrangimento ou intimidação É ESTUPRO, e isto vale também entre casais de namorados, casados, amasiados e qualquer outro tipo de relacionamento.

3° Em caso de assédio, constrangimento e claro, estupro, você DEVE (repito: DEVE) procurar a policia e realizar a denuncia. Não somos obrigadas a agüentar nenhum tipo de tarado (inclusive os idiotas do transporte público).

Dito isto, vamos analisar a realidade moral da sociedade em que vivemos.

Temos um “estilo musical” (e chamar isto de musica é uma grande ofensa), que claramente promove, favorece, estimula e incentiva um comportamento sexual doentio, irresponsável e sem nenhum respeito a si mesmo e ao próximo. O acesso a pornografia está tão fácil que vemos até mesmo quando não queremos ver (basta ligar a TV), e quem realmente quiser ver pornografia, a net está forrada de todo tipo de porcaria para se esbaldar. Também temos a última moda, que diz que nada é tão curto que não possa ser menor, então mostre sua bunda e exija respeito.

Segundo várias pesquisas nas áreas neurológicas e psicológicas, a exposição à pornografia e ao comportamento promiscuo redefinem o padrão mental relacionado à sexualidade, criando necessidades de estímulos incapazes de serem saciados. Também alteram a forma de enxergar as pessoas, que são vistas como objetos, e assim, podem ser tomadas a força.

Resumindo: um morfético, descerebrado, que ouve dia após dia que “as mina” não tem valor nenhum e fazem qualquer tipo de baixaria que ele puder imaginar, passará a acreditar nisto, e o pior, passará exigir que qualquer mulher que ele desejar se comporte desta forma (nem que ele tenha que forçá-la a isso).

Agora me diga quem promove a cultura do estupro: quem luta pela moral, respeito próprio e decência, ou quem promove a promiscuidade e a irresponsabilidade? ……..que  comece o mimimi.

Somos conservadores e lutamos pelo retorno da decência, pois queremos que nossas crianças vivam em um mundo bom e respeitoso.  Obvio que quem aborta não pensa nisso (ops!!!).

Enfim, só esperamos que o poste pare de urinar no cachorro e a responsabilidade seja mais que uma palavra bonita para esta sociedade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Cultura do Estupro- Quem promove?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s